Recortes com ou sem borda? by Mari Monteiro

Olá pessoal!

Tudo bem com vocês?


Hoje vamos conversar sobre um tema que faz toda a diferença no resultado final de um projeto.


Quando comecei a fazer scrapbook, tinha dúvidas sobre aquela bordinha que a gente deixa na hora de fazer os recortes e sei que muita gente que está começando ainda tem.


Super normal deixar e a gente pode até ir no automático e deixar em tudo. Mas hoje quero mostrar pra vocês que, às vezes, não deixar a borda pode fazer uma diferença incrível no acabamento. Lembrando que essa é a minha maneira de trabalhar e uma opinião muito pessoal, ok?


Então, se vocês me perguntarem se podemos deixar borda em todos os recortes, minha resposta é: depende!


Para começar, posso dizer que o que vai definir se deixo ou não borda aparente é a cor de fundo da estampa. Numa composição onde a maioria das estampas tem um fundo claro, que não vai “brigar” com as cores do recorte, eu deixo a borda sem nenhum problema.


Mas se entre as folhas uma delas tem o fundo escuro e a borda vai deixar a composição estranha, porque os outros fundos são claros, nessa eu não deixo borda.


Vejam o exemplo dessa papel floral lindo, com o fundo azul marinho.


Recortes com a borda e sem.

No detalhe, um com a borda e o outro recortei rente ao contorno preto. Nesse caso, a estampa fica mais destacada e não vai ficar estranha com outros elementos que tenham a borda clara.

Dois elementos iguais com fundos claros diferentes, mas que não incomodam. Um tem o fundo branco e o outro uma estampa bege que também ficou bom.

Agora o fundo claro que a gente já sai recortando sem pensar.

Os elementos acima podem ser usados juntos sem nenhum problema. Se tivesse deixado a borda azul marinho nas flores, ficaria mais pesado. Um detalhe sutil que faz diferença.


E as estampas florais, aquareladas, vintage ou shabby chic? A maioria não tem contorno e alguns fundos são estampas também e a gente fica com aquela dúvida se deixa ou não a borda, não é?


Sem contar que a estampa nem sempre é definida e temos que seguir com a tesoura pra terminar o desenho. Nesse caso, começo com a mesma dica: vejam a cor do fundo.


Nesse primeiro exemplo o fundo é verde. Recortei a mesma flor, com e sem borda. Sem borda o recorte fica mais “limpo” e a flor se destaca, aparece mais.

Com o fundo claro, mesmo que tenha alguma estampa, é possível deixar uma pequena borda.

Para finalizar, dois exemplos de die cuts para vocês lembrarem de observar esses complementos que nos ajudam muito, mas que às vezes também precisam de um ajuste nas bordas para não destoar dos outros recortes que vocês irão usar.

No final, o que conta muito pra mim é a estética.


O recorte perfeito vem com a prática, e acreditem, só vai melhorar.


A espessura da borda, cada um define a sua. Não quero deixar borda nenhuma, Mari. Ok! Mas o olhar para os detalhes precisa ser o tempo todo.


Treinem esse olhar cuidadoso e caprichoso nos seus projetos.


Espero que minhas dicas possam ajudar de alguma maneira.


Beijos e obrigada!

Mari Monteiro

Que tal aprender scrap sem sair de casa? Bom, né?

Vem pro Tesourinha de Ouro! São mais de 20 conteúdos (muitos PAPs e dicas) pra você e toda semana tem coisa nova! Clique aqui e participe!

149 visualizações